Publicado em Deixe um comentário

MORRER AOS 44 ANOS

Uma vez apareceu essa imagem que eu iria morrer nesta idade. Não lembro muito bem o remanescente deste pensamento… fui lembrar um tempo depois. Me lembro de um depoimento do Glauber Rocha que tivera esta mesma ideia. Falo no presente pois ele já morreu e deve estar nos vendo pela tela do computador de Deus. Tenho muito respeito por ele e sua produção é digna de uma pessoa pertinente para sua época. O Glauber morreu aos 44 anos e ele tinha este mesmo pensamento que o meu. “Eu vou morrer aos 44 anos”. Essa frase não sei se sou eu quem está falando ou é o próprio dito-cujo que está assoprando aos meus ouvidos.

Eu vou morrer aos 44 anos? Não sei. Porquê esse desejo de morte? Não sei… eu não posso responder por mim neste momento pois seria muito egoísta, muito pretencioso da minha parte. Única coisa que posso escrever ou falar seria o por que morrer. Morrendo ou não, vou escrever sobre o viver. Não sabemos o que é a morte. Sabemos que partimos desta para receber a graça de deus, que vamos para o outro lado e deixamos de existir no mundo terreno.

Por falar em viver. Quem vive? Viver é algo que almejamos e estamos sempre na busca. Algumas pessoas vive com certeza. Mas muitas lutam para sobreviver. Eu vivo, eu acho que vivo. Vivo no sentido da palavra que tenho a oportunidade de me alimentar, viver e ter um teto. Para ser bem simples. Tenho a opção de escolha, enfim… Tudo que eu faço na vida são coisas que gosto, algumas não planejei e gosto igual. São coisas que me faz sentir vivo e agradeço por ter esta oportunidade. Talvez eu queira experimentar morrer.