Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on google
Share on print

A TRISTEZA É UMA PROTEÇÃO DIVINA

Cimples triste
Praça Ouvidor Pardinho – Curitiba (2020)

Hoje final de tarde estava indo para minha mãe buscar algumas etiquetas da marca de roupa que estou retomando a produção, #destbrasa, e resolvi parar no meio do caminho para tirar um pouco a tristeza da pele fazendo graffiti. Acho que sei o motivo da tristeza, isso é uma das partes que mais me intriga.

Estar triste não quer dizer que não estou contente. É apenas um sentimento passageiro e transformador. Sim, a tristeza nos transforma e nos eleva como ser. O que Deus quis dizer para mim e me deu o prazer desta dádiva da vida? Sim, é Deus falando conosco através dos nossos sentimentos e emoções, vale cada um interpretar da forma que achar conveniente. Eu senti isso. Eu senti que estou triste no momento de felicidade. Estava triste na felicidade.
No caminho da casa da minha mãe eu resolvi parar e fazer um graffiti de forma espontânea… Lembrei de um muro que tinha visto no domingo, quando fui levar minha filha para brincar no parquinho da praça Ouvidor Pardinho. É um muro bem legal que tem uma torre de telefone. Um muro neutro, pois ali dentro daquele terreno enorme tem uma torre do mesmo tamanho e um muro bonito para receber um graffiti.

Parei e comecei a pintar tal muro e quando estava esboçando a primeira letra do meu nome avistei um cuidador de carro da quadra. No primeiro momento da pintura ele apenas observou. Logo depois da segunda letra ele se aproximou e começou a falar do muro, do terreno e de quem era o dono do terreno e eu nenhum momento parei de pintar, mesmo sabendo que aquele muro poderia ter um dono e esse dono poderia aparecer (agora eu aqui estou assumindo a culpa… he he he)… Ele citou o nome da empresa que era dona do muro e eu falei que ia pintar uma parte e outra parte iria deixar para outro dia. O cuidador de carro disse que era melhor eu nem voltar outro dia… eu fiquei um pouco ressabiado e continuei a fazer minha arte. Quando estava quase terminando a primeira parte com tinta látex,  apareceu uma senhora e uma moça procurando um gatinho desaparecido, ela perguntou do significado da minha pintura. Falei que era abstrata, meio que escondendo o jogo… Já tinha finalizado o fundo com tinta látex e resolvi terminar o graffiti, peguei o spray no carro e tchhhhiiii… tchhhiii… não vou arriscar deixar para outro dia. E de repente a senhora que estava procurando o gatinho pediu para entrar dentro do terreno e o cuidador de carro tinha a chave do portão do terreno que tinha um muro que eu estava me apropriando. Eu continuei… eu não sabia muito bem o que falar… eu falei que iria terminar hoje o graffiti… terminei… e sai meio assim sem saber o que realmente aconteceu… ou, o que vai acontecer… o muro ficou com uma arte minha e eu fiquei com a pulga atrás da orelha e surpreso com aquilo tudo… acho que foi a tristeza que me protegeu…

Valdecimples

Valdecimples

O que achou? Comenta aí =)

Compartilha aí hermano =)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest

Compartilha aí hermano =)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest

Entre em contato:

  • (41) 8885-0082
  • valdecimples@gmail.com

Redes Sociais:

Envie uma mensagem para mim:

Valdecimples© - Todos os direitos reservados - 2019

Scroll Up